domingo, 27 de março de 2011

ENTREVISTA WINGWALKER MARTA BOGNAR



Esta terceira entrevista de "Conversando ao Pé da Escada do Avião" mais uma vez é com uma pessoa muito especial. Desta vez com uma Mulher espetacular. Mulher com "M" maiúsculo pela sua coragem e audácia. O que ela faz não é para qualquer um não. Não sei bem se é coragem, sangue frio nas veias, espírito aventureiro, adrenalina, amor pela aviação ou loucura mesmo. Mas com certeza tem que ter muita, mas muita, coragem mesmo.



Conheci a Marta Bognar em Maio de 2011 num evento que houve no Aeroporto de Congonhas, foi numa feira que estava ocorrendo no antigo pátio da Vasp. Pensei que ela fosse piloto de carro de corrida. Porque estava vestida numa roupa toda colorida, toda laranja. Ela falou que era wingwalker. E sei lá que bicho era isso! Ela então percebeu que estava eu não havia entendido. Então,  explicou que ficava em cima da asa do avião. Lembrei do Domingo Aéreo que sempre íamos e ela confirmou que era ela.


Meses depois estávamos no Domingo Aéreo mais uma vez e todo mundo saiu correndo e olhavam para o céu. Lá passava um avião antigo. E em cima da asa havia uma pessoa com o mesmo macacão laranja. Na hora lembrei da Marta Bognar. E lá vinha ela de novo,  acenando para o público e fazendo o maior sucesso. Na verdade, parecia que a Marta  estava acenando só para mim e me dizendo. "Lucas, olha eu aqui! Lembra de mim? "




Marta como vc teve a idéia de ser wingwalker ? 
A idéia da atividade de wingwalking no Brasil foi de um amigo querido chamado João Carlos Stocco. Depois por motivos particulares o Stocco se afastou da acrobacia aérea no inicio da decada de 90 e me doou o sonho dele.
Eu intensivei os contatos com equipes no exterior e fui adotada por um wingwalker americano que me apresentou para Margareth Stivers que foi minha real instrutora . Para treinar nos EUA fiquei na base de Los Angeles fazendo voos comerciais para a Asia e assim treinava nas folgas onde viajava para a cidade de Chico ( o hangar onde eu ficava era na frente do conhecido Museu dos avioes da Fama). Fiz vários voos de confraternização com equipes no exterior (Scandinavia, Inglaterra e USA). Quando voltei dos EUA comecei a namorar o Pedrinho em 1997 e nos unimos para viabilizar a equipe no Brasil, que ocorreu em janeiro de 2000 quando o showcat ficou disponível no país.


Eu nunca lhe vi no avião pousado. Gostaria de saber como é que você fica amarrada avião?  
Fico ligada ao avião através de dispositivos de segurança ( tirantes) que são presos na aeronave antes de eu sair do cockpit para me deslocar para a asa superior ou entre as asas (o avião é biplano). Eu pouso e decolo dentro do aviao. A transição é feita durante o vôo e é por isto que o treinamento com o piloto é tão importante. 
Em cima da asa superior existe um trapézio (suporte) onde posso me prender pela cintura antes do avião começar a fazer acrobacias. A comunicação é sempre por sinais pré determinados, não há outro sistema de comunicação entre o wingwalker e o piloto.


Existem outros itens de segurança como a touca, luvas e os  óculos  para me proteger do vento e vários procedimentos de segurança que são treinados. Por exemplo, em caso de emergência, estou treinada  a descer do suporte do avião em 12 segundos  para pousar dentro do cockpit  
Aguardei um avião no Brasil de 1990 a 2000 após muita luta para viabilizar a atividade e isto explica a ligação sentimental que tenho com o avião. Ele foi praticamente construído para a atividade e quem acompanhou o projeto do avião até o peso e balanceamento foi o famoso engenheiro aeronáutico Fernando de Almeida ( já falecido).
O nome adotado foi "showcat" e tambem era   conhecido por “Branco Ventania” pela pintura que ele tinha.  Ele possui um motor radial de 450 hp e desenvolve uma velocidade média de 110 milhas por hora (177 km/h). Possui dispositivo de fumaça que enriquece o show aéreo, valoriza as manobras que envolve muito o público.



 No exterior meu treinamento foi sempre em um biplano chamado stearman fabricado pela boeing . Tenho os trapézios  e tirantes adaptados para os dois aviões  porque as medidas são diferentes. 
Voei com diversos pilotos no exterior. No Brasil, o piloto da equipe foi o Pedrinho Mello de 2000 até 2011. Desde 2012, os   pilotos são o Ricardo Beltran Crespo que voou na Esquadrilha da Fumaça e Rogério Nave que também é militar e foi instrutor na AFA durante muitos anos.  


 Marta você  já decola e pousa em cima das  asas  ou é lá em cima que fica na posição? 
 O avião usado para a atividade de wingwalking é sempre um "biplace" ( avião de dois lugares). 
O piloto fica no banco traseiro e eu no banco dianteiro onde decolo e pouso sentada . A transição é feita durante o voo e esta é a origem do nome da atividade: caminhante de asas.
Se eu sair do cockpit e me descolar para cima da asa inferior, eu caminho em cima da longarina e posso ir até a ponta da asa.
Se eu for para cima da asa superior, eu me posiciono no trapezio que  é  um suporte construido especificamente para atividade . Eu me prendo nele antes do  avião  começar a fazer acrobacias como looping e touneaux. O trapézio permite que eu  faça algumas posicões com braços e pernas que são movimentos aerodinâmicos durante as manobras do avião.
Ele também permite que eu faça posições durante os rasantes para o público. Isto tudo reunido  é considerado  uma coreografia. A coreografia do show é sempre encerrada com a abertura da Bandeira Brasileira. O entrosamento entre wingwalker e piloto é fundamental.


Lá em cima você fica de paraquedas? 
Não.  faço parte de  um comitê  internacional de wingwalkers profissionais onde discutimos principalmente a segurança de voo. O paraquedas nao é considerado um equipamento útil devido a altura das manobras e o tipo de voo.
A minha segurança é o safety line ( tirante de segurança) , treinamento, comunicação adequada e gerenciamento de risco. A liderança durante o voo é compartilhada e o trabalho é de equipe .


E como é sentir o vento bater no rosto e no corpo todo?  
O vento é muito forte e a forma adotada para conviver com este aspecto  é adotar movimentos aerodinâmicos. O show é resultado de vários fatores de risco calculado . O vento é amigo mas deve ser muito respeitado obedecendo os limites e restrições. A sensação de ver a paisagem  e as pessoas  lá de cima é maravilhosa. Ver que elas estão  admirando nosso trabalho, interagindo a cada aceno que faço......e nos incentivando. O carinho que recebemos do público é realmente muito especial.


Qual o momento mais delicado, arriscado ou que você sente mais medo ou arrepios lá em cima? 
Difícil responder isto. Voar requer cuidados, respeito à natureza,  treinamento e disciplina. Tecnicamente, lógico que há uma manobra mais difícil que outra e alguma posições dependem das condições meteorológicas para serem realizadas.
O medo na medida certa é uma forma de precaução e considero  útil. 
Sempre tenho frio na barriga  porque um voo nunca é igual ao outro. Estou sempre alerta.
Eu costumo sempre enfatizar que a confiança é a base do relacionamento de uma equipe de wingwalking.  Como acrobata, preciso ter certeza que o piloto vai seguir exatamente o combinado  durante o treinamento e ele também precisa ter certeza que vou respeitar os movimentos e o tempo ( tudo é calculado em segundos). Este trabalho é baseado em um profundo respeito para voar em  segurança.  Este relacionamento de  respeito, harmonia e confiança  cresce  de uma forma  durante o show, que  atinge um grau de cumplicidade difícil  de explicar.  Este "elo"  entre o wingwalker e o piloto se fortalece  para proporcionar  amor , emoção e alegria à quem assiste e o prazer deste processo ganha vida, interação com o público, com a música no solo e vira espetáculo. O show de wingwalking é sempre para levar alegria ao público e cada aceno é para agradecer a presença ao evento.


Wingwalker  é um esporte caro, qual a forma de  viabilizá-lo?    
Wingwalking é uma atividade aerodesportiva  que resgata a historia da aviação.  Surgiu nas primeiras décadas do seculo passado e atualmente são 11 equipes no mundo. A equipe brasileira é a unica na America Latina. A maioria das equipes de wingwalking no exterior tem patrocinadores  e são empresas de diferentes segmentos  como água, café,  cosmético, margarina, chocolate, relógio, etc.. ( não são empresas ligadas à aviação)
Aqui no Brasil , nós estamos em busca de patrocínio. Sei que sou suspeita mas é uma atividade que chama muito atenção e coloca o nome do patrocinador em destaque perto do publico consumidor e da  mídia. 


Quem tiver interesse como fazer para contatar com você? 
Sim, por favor.  O contato pode ser atraves do telefone 11- 985451761.
O site da equipe é www.wingwalking.com.br       -         wingwalking@hotmail.com 


 Você tem coragem de olhar pra baixo? 
Sim claro!! olho para baixo normalmente e  observo tudo atentamente . Sou privilegiada em ver a paisagem de forma que outras pessoas não tem oportunidade.  
Adoro lidar com cores e formas e tenho um atelier de pintura há muitos anos . Dizem que  quando não estou voando no céu , estou pintando o céu em quartinhos de bebê, capelas, igrejas..rs....e é verdade.
Interagir com a natureza e  acompanhar as manobras do avião  em pé na asa...sem obstaculos entre seu corpo e o azul é especial. 


É verdade que você sempre voa de Batom? Cachecol? 
Sim, eu nunca voo sem um bom  batom vermelho e o cachecol branco é tradição para voar biplano.


 Sua família, seus país quando souberam que vc seria wingwalker como receberam isso?
No início é claro que levaram um susto, mas Graças a Deus, tenho apoio total de minha família e felizmente eles tem muito orgulho.  Minha irmã faz parte da equipe de solo que acompanha os shows. Eu também considero que a história do wingwalking é uma historia de conquista  pessoal.  



Lá em cima você já passou por algum problema de última hora, que você ficou apavorada? Ou tem alguma história engraçada para nos contar .
Apavorada não graças a Deus. Engraçada....tem várias mas uma vez meu macacão abriu durante o voo. Sorte que era um voo de treino e ninguém viu a confusão...rs..rs.



Você tem saudades da época da aviação comercial, de quando era comissária da Vasp?
Sim...claro.  Fui muito feliz nesta profissão  e ocupei todas as funções que uma comissária pode ter. Voei diversos equipamentos, voei na internacional, fiz baseamentos (transferências provisórias para morar em outro país). Conheci muitos lugares e sempre soube aproveitar o lado bom da aviação comercial.


Da para contar uma ou algumas histórias engraçadas que vc passou ou vivenciou naquela época que era comissária?
O conceito de engraçado é relativo. As vezes o que é engraçado para um é trágico para outro...rs.   Uma colega comissária tentou ajudar uma criança para subir a escada do avião, carregou-a no colo  e ao chegar no topo da escada , ela pediu para coloca-lo no chão ( era uma anã).. rs.


Outra colega ao carregar uma bandeja quadrada  no corredor, sem querer enroscou no cabelo da passageira...( era uma peruca  que ficou pendurada no canto da bandeja por alguns metros). Foi horrÍvel para a passageira mas eu tive dificuldades em conter a crise de riso.
Posso dizer que em todo voo, sempre acontecia algo inusitado, engraçado , pitoresco porque todo voo é  formado por um grupo bem heterogêneo de pessoas e o avião é lugar ideal para acontecer coisas estranhas .




Como sabem, é  comum os  turistas embarcarem com "lembranças" do local que visitaram... e sendo assim, subiam com berimbau, redes, cestas de  caju, esculturas de madeira, e todo tipo e tamanho de artesanato. 

Na cidade de Belém do Pará,  entre estas lembranças  era possível encontrar essências de patchouli em sachê ( cheiro invadia o avião) , itens de cerâmica marajoara , e as famosas "garrafadas". Sim...a "Garrafada"  é vendida no mercado popular e  funciona como remédio caseiro,  de ervas típicas da região amazônica e que servem para  tudo, má digestão, dores em geral, problemas de fígado, alergias, depressão... etc.....rs.) .

Eu era uma comissária nova com 18  anos  e a avião era um 737 -200 . Trecho era Belém-SP ( bem longo).  


Era comum os passageiros acomodarem pertences em sacolas...e um senhor  idoso, embarcou em Bélem, sentou logo na segunda fileira corredor  e acomodou seus pertences no gavetão acima da poltrona dele.


Antes da decolagem eu sentei no  banco dianteiro de comissaria, que neste avião fica de costas para a cabine de comando, então obviamente eu tinha visão de todo o corredor do avião.

Logo após a decolagem eu vi as  pessoas  que estavam sentadas no corredor   colorarem a mão na cabeça...uma atrás da outra..como se fosse combinado  e em seguida muitas tocavam a chamada de comissario ( então havia vários sons simutâneos, luzinhas acesas ,  murmurinho e confusão).

Avião enclinado subindo.. e eu  não tinha  ideia do que estava acontecendo. Mesmo com dificuldade pela inclinação, sai no corredor para atender o que parecia uma emergência.


Bom..aquele senhorzinho da segunda fileira, ao acomodar os pertences dentro do gavetão, colocou a boca da sacola  virada para a cauda do avião  e não se deu conta que as "garrafadas"  dele não estava devidamente fechadas. 

Com a decolagem, o liquido vazou da garrafa para o gavetão  e do gavetão inundado,  escorreu para o friso que dá sustentação a todos os gavetões . O líquido percorria o friso sem dar para ver  e  pingava na emenda  de um gavetão para outro feito goteira ..... apenas em cima da cabeça de todos os passageiros que estavam nas poltronas do corredor..

A goteira acabou com o penteado de uma senhora, pingou na cabeça do outro que era  careca.. do outro que tinha  cabelo armadão....rs..rs.


Ao sentir algo cair na cabeça as pessoas se assustavam com o liquido, a cor.....e o cheiro... ahhhh o cheiro... de ervas exóticas !!!!!rs..rs..rs.....dominou o ambiente e ficou durante todas as horas do voo.

Hoje dou risada ao lembrar da cena , da reação dos passageiros e minha aflição como profissional recém formada e com tantas solicitações ao mesmo tempo...



Marta, meu avô leu essa história sua, e lembrou que há mais de quarenta anos atrás estavam voltando da casa da minha bisavó de ônibus, de Santa Catarina para o Rio Grande do Sul.  Meu pai tinha dois ou três anos de idade. Minha bisavó tinha uma plantação e meus pais trouxera alguns repolhos, que o motorista não quis colocar no bagageiro inferior. Naquela época as estradas eram de chão, o ônibus parava na estrada para subir e descer passageiros, que levavam até galinhas. A viagem chegava a levar 10 horas, tudo de noite. A essência era um charuto de palha de um passageiro. O ar condicionado eram as janelas abertas. E lá ia o ônibus de buraco em buraco. E também os repolhos iam batendo numa sacola grande. O problema é que na noite anterior de serem colhidos havia chovido muito e os repolhos haviam ficado encharcados por dentro e ninguém pensou nisso. Foi um desastre total. Haviam um cheiro azedo no ar, mas com o cheiro do charuto, do cigarro de palha e das galinhas, quem é que lembraria dos repolhos. A desgraça tava feita. Ao chegarem em Porto Alegre, perceberam que os repolhos sumiram, ficou só a sacola. Mas como? Quem levaria os repolhos e deixaria a sacola. Foi então que perceberam que os repolhos estavam desmanchados por todo o maleiro e a desgraça ainda não havia terminado, havia um senhor elegante que tinha colocado seu belo chapéu no maleiro, os repolhos passaram por cima dele mais de 100 vezes, como se fosse um ferro de passar roupa. Por onde os repolhos passaram fizeram estragos. Do início ao fim do ônibus. Cada um que vinha reclamar pro meu pai, meu pai mandava falar com o motorista, que não quis perder tempo e colocar os repolhos no bagageiro inferior. O motorista era um italiano grande e gordo, que ficou vermelho que nem pimenta malagueta, parecia que sua cabeça iria explodir de tanta raiva. Vovô sentou na poltrona e só viu todo mundo discutir com o motorista. Cansou do espetáculo e foi embora, e deixou eles para trás.




E da época que você ia no aeroporto com seus pais, tem algum fato legal também para nos contar?

Ir ao Aeroporto de Congonhas era um passeio muito especial. Havia uma varanda ...área externa  onde as pessoas acompanhavam  o movimento dos aviões e passageiros. 

Depois quando comecei a voar, as vezes meus pais costumavam me aguardar nesta varanda do aeroporto e era fantástico identificá-los ao abrir a porta do avião. São lembranças inesquecíveis.


Conte um pouco sobre a ABRAPAER
ABRAPAER é uma associação jovem  e sem fins lucrativos . Completou um ano em julho de 2015 e tem como objetivo principal, resgatar a história e contribuir para a preservação aeronáutica no Brasil através de diversas ações. 

Nossa diretoria é formada por voluntários e aproveitamos a trajetória acadêmica de cada um para contribuir da melhor forma possível nas ações, por exemplo as atividades para crianças e adolescentes (abrapaer kids e abraper teen) é desenvolvida por uma profissional que é formada em pedagogia e é professora de história na rede publica.

Entre as ações, organizamos passeios culturais com destino à Museus e eventos aeronáuticos para estimular as pessoas e contribuir com o aprendizado. 

O próximo passeio cultural será dia 23 de agosto para o evento Portões Abertos" na AFA em Pirassununga.


A entidade reúne como sócios,  pessoas de vários segmentos ligados ao tema, sendo profissionais ou não: pilotos, mecânicos, historiadores, museólogos, fotógrafos de aviação, pesquisadores, pintores de aviação, aeroclubes, escolas de aviação, plastimodelistas, aeromodelistas, escritores, entusiastas, todos apaixonados por aviação são bem-vindos.



Qual mensagem você deixa para as crianças e jovens
Nada é impossível! 

Vá em busca da realização de seu sonho ! 
Se organize, tenha foco, bom humor  e persistência.

Aproveite todas as oportunidades e o lado bom da vida com segurança.

O tema "aviação" é algo muito especial, que pode lhe proporcionar além de prazer e alegrias,  experiências  que nunca poderão tirar de você.

Ao Lucas, um beijo carinhoso e obrigada pela oportunidade da entrevista.






Essa matéria tenho muito a agradecer a gentileza, profissionalismo e simpatia do Roberto Valadares Caiafa, que gentilmente cedeu todas as fotos desta singela reportagem do Blog do Lucas. Sem essas fotos minha reportagem teria ficado perneta. Pois com essas fotos profissionais é possível visualizar e compreender as explicações de nossa querida Marta. Mais uma vez obrigado de coração Roberto pelas fotos e incentivo que você me deu desde o primeiro contato que tivemos.






Esta terceira matéria tive a ideia de inovar mais uma vez. Sendo a Marta uma personalidade pública nacional, admirada e querida por onde passa. Tive a ousadia de contatar diversas pessoas para colher seus depoimentos. Por ventura, se algum não foi publicado, ou se alguém ainda quiser publicar, é só nos enviar. Podemos ter equivocadamente ter perdido alguma mensagem no Face pelo volume de postagens diversas.

Marta, este é o presente meu e de seus admiradores. Pessoas que talvez você nem as conheça pessoalmente. Mas que elas reconhecem em você a raiz de um ser humano integro, sonhadora, além da profissional que todos sabemos que você já é. Nos momentos difíceis, que todos esperamos que você nunca venha a passar, estas mensagens estarão aqui, para ser seu querosene e fazer você decolar.






A Marta é uma das pessoas mais persistentes, otimista e idealizadora que conheço. Sempre em busca dos seus sonhos, conquistou e manteve por mais de dez anos seu sonho voando. Ultrapassou barreiras quando muitos não apoiaram ou acreditaram e assim levou nossa Bandeira Brasileira aos céus através da Equipe Brasileira de Wingwalking. Continua seu trabalho com palestras sobre segurança de voo e trabalho em equipe, incentivando crianças, jovens e adultos a seguirem lutando pelos seus objetivos. Tenho muito orgulho de ser sua irmã e ter auxiliado na comunicação social e safety da equipe ao longo desses anos.

Valquiria Bognar



Os anos em que fiz parte da Equipe foram de muito aprendizado. Foram tantas aventuras e tantos momentos divertidos juntos que é impossível não lembrar de tudo com nostalgia.
A Marta é guerreira e nunca desisti dos seus sonhos e eu me orgulho muito de tê-la como amiga.
Ana Mercante



Conheci a Marta em um show aéreo na cidade de Bauru/SP, onde ela participava fazendo uma demonstração de wingwalking. Foi um encontro breve, porém, bastante marcante. A atividade de " andar sobre as asas"de aviões é bastante incomum, havendo hoje cerca de dez equipes em TODO O MUNDO que realizam esse tipo de show. Depois desse encontro, passaram-se alguns anos, e voltamos a nos encontrar, ao participarmos do grupo que viria a fundar a Associação Brasileira de Preservação Aeronáutica - ABRAPAER. Em consenso entre todos do grupo, escolhemos por unanimidade a Marta como sua primeira Presidente. A escolha se demonstrou acertada. Após um ano de atividade, a Associação se consolida como uma forte referência nacional, no que diz respeito à preservação da memória aeronáutica brasileira. A dedicação, seriedade, habilidade de extrair o que há de melhor em cada membro de sua equipe e seu carisma fazem com que a Marta tenha sido realmente a escolha certa. A única coisa a lamentar é sua significante ausência nos shows aéreos, já que a equipe se encontra já há algum tempo sem patrocínio, o que é uma perda enorme para nossos espetáculos aéreos.
Ruy Moraes


Conheci a Marta voando em uma feira há muitos anos.
Hoje está no chão mas continua a minha admiração.
Parabéns
Marisa Lucchiari Nunes

 Marta Bognar é uma águia no ar e uma leoa na terra. 
Uma gigante com uma personalidade iluminada. 
Sou agraciado por conhece-la.

Ademar Esteves Radel

Eu a conheço voamos juntas pela Vasp adoro ela é uma amiga maravilhosa e que corajosa de voar em cima do aviâo quero muito bem a ela Abraços.
Malc Camara


Lucas, eu sou um personagem nesta historia de vida abnegada e dedicada à aviação da Marta Bognar, onde posso contribuir com um momento único e sublime, em que a Marta e eu, hasteamos a Bandeira Nacional, durante um Domingo Aéreo na Academia da Força Aérea. Eu tenho este vídeo, porém, em razão de minhas transferências, tentarei localizá-lo. Digo isto, pq o que ela fez, foi do mais profundo sentimento de nacionalidade e amor pelo Brasil, pois ela foi convidada e logo após fez a sua indescritível apresentação. Acredito que ela tenha esta passagem na memória, porém, não tive a oportunidade de reviver aqueles momentos. 
Agradeço-te por esta oportunidade de participar e coloco-me a disposição para contribuir na medida do possível!

Fabio Luiz Mulazani



Martinha minha Amiga do coração você faz parte da melhor época da minha vida.
E participou de muitas aventuras te adoro e admiro muito, você sempre correndo atrás de seus sonhos e realizando.
A Marta merece essa homenagem ela é antes de tudo um ser humano de muita bondade e sempre alegre e disposta a ajudar agradeço a Deus por tê-la como Amiga.
Parabéns... beijinhos Margarida
Margot Vieira Margarida


A Marta é uma pessoa carismática, simples. 
Uma amiga de coração enorme capaz de unir as pessoas das mais diferentes áreas do conhecimento para simplesmente conversar sobre aviação, preservação e história.
Daiane Delboni

A Marta é alguém muito especial que chegou para mexer com nossos sonhos de criança, mostrar que se pode ir além e ousar, algumas escolheram trabalhar dentro de um avião, outras, pilotá-lo mas ela é ousada, ela decidiu voar nas asas, fazendo os olhos de muitas crianças brilharem e se encantar com tanto charme e coragem. É tanta emoção ao vê-la voando, que nós, gente grande, voltamos a ser criança por um instante despertando uma vontade de experimentar ao menos um pouquinho desta emoção. Coisas de quem põe amor ao que faz, e eu quero dizer que sou sua fã e dizer muito obrigada por nos encher de alegria, nos encher de emoções , por fazer nossas crianças sonharem e por abrilhantar o nosso céu com o seu carisma. Você não faz apenas uma excelente demonstração, Compromisso, Técnica, Atitude e Liderança é isso que você ensina a cada pouso e decolagem, somados à força e destreza de uma bela mulher . De sua Fã Josi Elen Sá 


Ola! Conheço a Marta pessoalmente sim! Admiro ela em todos os aspectos, uma mulher batalhadora, corajosa e versátil! 
Merece ser entrevistada por toda sua vivencia! Adoro o trabalho dela como restauradora e indico sem medo para qualquer um que procure um excelente profissional! Confiável, caprichosa e muito simpática! 
Folha De Ouro Karen Janosek

Eu acho a Marta um grande exemplo, acho bem interessante ser Wingwalking.
Realmente é uma pena ser algo tão pouco conhecido, e acredito que seria bem interessante isto ser mais divulgado e que mais pessoas se interessassem em realizar.
Vinicius Guerra Genova
Estudante de 14 anos
 

Falar da Marta, é falar de uma SUPER profissional, trabalhei com ela por anos na Vasp, ela sempre impecável, sempre prestativa, sempre profissional. Uma pessoa carinhosa, preocupada com os outros, sempre querendo ajudar quem pode . 
Uma pessoa que realizou o sonho dela e É feliz por isso. Venceu batalhas, conquistou ,abriu caminhos. Uma pessoa que sempre será a " diferença no mundo ", pq ela faz a diferença, ela faz as coisas acontecerem. 
Desejo de coração, muita LUZ, SUCESSO REALIZAÇÕES, CAMINHOS ABERTOS E FELICIDADE . 
Um beijo enorme , Que DEUS a ILUMINE E PROTEJA SEMPRE .
Rossana Figueiral



Conheço sim a Marta quando ela foi comissária de Bordo da VASP. Fui secretária daquele departamento durante alguns anos e tive o prazer de conhecê-la. Isso foi pelos anos 90. Ela já praticava wingwalker. A Comissária Marta Bognar sempre foi exemplar tanto em questões administrativas, quanto à bordo. Querida por todos, simpática, impecável. Elogiada por passageiros e de uma garra invejável. Não preciso dizer o quanto era destemida e recentemente soube que ela trabalha com restauração.....falar o que de uma pessoa com tantas qualidades....só que a acho incrível.

Valeria Paschoalin

A Marta é uma pessoa doce e meiga e de uma coragem que poucos tem.
Ela sempre foi muito querida entre os colegas da aviação.Tenho uma grande admiração pela sua coragem, não tenho mais contato com ela a não ser aqui pelo face, só tenho boas recordações dela. Enfim muito merecido a homenagem. Abraço e parabéns.
Elisa Mesquita

Sonhadora.....no céu e na terra!
Lia Santanna

Marta... Uma mulher de fibra, guerreira, linda, gentil, elegante e de uma humildade sem tamanho. Mulher inspiradora de mulheres, admirável e simplesmente única. Obrigada por vc existir! Um grande abraço, com carinho!
Mayara Vilaça de Mello

A Marta é uma pessoa muito carismática e alegre. Ser amiga da Marta é um grande privilégio, pois se dedica aos amigos com carinho e muita atenção. Marta, sou sua fã! Que Deus abençoe sempre! Com carinho,
Isalete Leal

A Marta é uma pessoa maravilhosa, uma amiga e irmã realmente apaixonada e dedicada a aviação.
A qual conheço há mais ou menos 15 anos. Extremamente profissional, é uma das poucas que ainda participa dos eventos aeronáuticos por amor a aviação, a qual trabalha muito em prol da preservação de nossa história aeronáutica. Tenho muito orgulho por seu amigo da Martinha.
Heinz G. Wolf Junior


A Marta é uma mulher exemplar, e muito amigável.
Tenho pouco tempo que a conheço, mais o bastante para descobrir a mulher doce e generosa que ela é!
Um verdadeiro espelho a se seguir, admiro muito ela..
Mulher batalhadora e guerreira!..
A Marta é um amor de pessoa!
Cibelly Kaúanny


Tenho amizade com a Marta, por conhecimento na aviação. 
Sei que ela é comissária de voo, e que por hobby ela pratica o Wing Walking, além de ser uma pessoa adorável.....
José Carlos Pereira

Há cada apresentação sua lembro de ICARO que se lançou aos céus com suas asas de cera.
Lembro de uma poderosa amazona em seu possante corcel a desafiar os céus, parabéns por levar o Pavilhão Brasileiro no lugar mais alto , os céus dessa nossa Pátria . 
abração
Sergio Knoch


Quando surge na aviação o nome Marta Lúcia Bognar e fechamos os olhos por um instante, é fácil associar a cor branca e laranja e o leve toque de cinza pincelando riscos no ar ao do motor radial.
Para o para-quedista a segurança de saltar é seu para quedas.
Para o piloto é estar sentado na sua caixa motorizada.
Agora a Marta é a Marta, ninguém voaria fora de um avião, ela também tem o dom de restaurar quando não está voando, só falta um detalhe...empresas e grandes marcas estão perdendo de investir no maior de todos os patrocínios, A Marta .
Juliano Gomes 

Bem .... o que posso dizer sobre a Marta é que .... A Marta é uma mulher guerreira que lutou e se dedicou muito para ser a única Wingwalker da América do Sul .... servindo como exemplo para milhares de pessoas inclusive a mim. Se todos as pessoas gostassem das suas profissões como a Marta gosta da aviação, o mundo certamente seria muito diferente e melhor, André Stellato Curaçá


A Marta é uma pessoa muito carismática e alegre. Ser amiga da Marta é um grande privilégio, pois se dedica aos amigos com carinho e muita atenção. Marta, sou sua fã! Que Deus abençoe sempre! Com carinho, Isalete Lesl

A Marta para mim, antes disso tudo, Wingwalker, fazer acrobacias em cima da asa de aviões, pintora, comissária, etc, é uma grande amiga, uma pessoa especial, que faz o bem sem nem querer saber a quem, um grande coração! Como wingwalker, é um exemplo de coragem e perfeição no que faz, além da abnegação.
Deixo aqui, de mim e de minha esposa Meire Poker, um grande beijo para ela.
Pedro Henrique Brunini

Não há como não admirar Marta e o seu Wingwalking Airshow.....O único no Brasil em todos os tempos....e talvez na América do Sul......Privilégio para aqueles que presenciaram momentos inesquecíveis nos aureos tempos dos grandes shows aéreos que aconteceram por esse Brasil afora.... Particularmente....não me recordo exatamente o ano....Marta ....Pedrinho e o Showcat apresentaram-se sobre o Campo de Marte.....ocasião na qual estimou-se cerca de meio milhão de pessoas forrando as cercanias e o interior do aeródromo.....Quem viveu a época sabe do que estou falando....Saudades....
Ivan Plavetz

Não conheço a Marta pessoalmente, só através de redes sociais e alguns amigos da área de aviação.
A Marta é um exemplo de coragem e dedicação ao wingwalking em um país em que este tipo de atividade não é prestigiada. Poucos sabem que temos uma wing-walker... se é que sabem o que é isto. 
Obrigado pelo convite.
Démerson André Polli

Another Ag Cat crop duster turned into aerobatic plane...
Dan Leidal Wow

Dando prova pra muitos barbados!
Gerson Kareka

Uma Grande Simpatia Sempre!!! Felicidades para Marta!
Silvia Telasdope Telasdope

Não a conheço, porem desejo tudo de bom para ela, que é uma pessoa do bem. Parabens!
Walter Cardoso

Linda a matéria parabéns!!!
A Marta merece ela sabe que a família berggren sempre foi fã.
É o que a gente pode fazer por ela nos faremos
Cidinha Berggren

a Marta é uma amiga muito especial e merece ser homenageada.
Ela é uma guerreira e eu a amo muiiito
Luzineide Goes

Conheço a Marta e voamos juntas várias vezes, pois fomos comissárias na extinta VASP. 
Sempre a admirei por tamanha coragem e paixão pelo wingwalking e várias vezes assisti suas apresentações. Ela é uma pessoa determinada e dedicada a tudo que se propõe. 
Excelente profissional e amiga e merece todo o meu carinho e respeito!!!
Dorotilde De Paula Dias

O que dizer desta guerreira e corajosa mulher, que conheço bem antes de trabalhar no Museu Aeroespacial - Musal, mas que pude conhecer bem de perto quando trabalhava na Divisão de Museologia e depois na Divisão de Restauração desde o ano de 2005. 
Suas apresentações em cima de um avião antigo, nos despertava a mais forte das emoções. 
Inexplicável tamanha era a emoção, principalmente quando o avião voava de dorso, e sua postura belíssima se mantinha inabalável com tamanha manobra. 
Marta, quero te desejar tudo de bom para você e sua família e lhe agradecer pelos momentos mágicos que me proporcionou e a todos que tiveram o prazer de te ver atuar na Equipe Wingwalker, e da imensa alegria, simpatia e simplicidade com seus fãs. 
Agradeço a Deus por tê-la conhecido. 
Beijos de seu fã, admirador e amigo. 
Anderson Alcantara.


ola..... a Marta é uma grande amiga que além de alcançar as nuvens nas asas de um biplano, alcança a perfeição nos seucom artisticos também....um beijo pra Marta,,,,
do Guilherme Sandrii
alcança a perfeição nos seus dotes artisticos também,,Guilherme Sandrii










Esta entrevista foi muito engraçada. Começou como as demais, com suas particularidades. Mas a cada momento tivemos ideias diferentes, como colocar as "mensagens" e agora "fotos" da época da Vasp. Esta última parte não teria sido realizada se não fosse pela colaboração de duas colegas sua da época da Vasp. Agradeço a "MARGORT VIEIRA MARGARIDA"  e  a  "NAIR SANTOS"  que compartilharam suas lembranças, abriram seus livros de recordações. Esta próxima etapa é para vocês ex funcionários da VASP. Postei todas as fotos que recebi. Sendo um momento de recordações. E quem quiser, pode baixar as fotos, como naquela época não havia celulares e tais, as fotos na maioria das vezes ficava só com que revelava. Beijos a todos vocês da Aviação. Muitas fotos tomei a liberdade de baixar dos blogs "Nossa Vasp", "Vaspeanos" e "Vasp, eu amo a Vasp".