domingo, 6 de março de 2011

ENTREVISTA DENIR CAMARGO - CLUBE DO MANCHE - 30 ANOS


DENIR CAMARGO  - XXX  CLUBE DO MANCHE


Ele não é o Papai Noel! Mas as crianças adoram ele!
Também nunca trabalhou numa empresa de aviação.
Mas foi escolhido pelo Lucas para ser a primeira pessoa a ter a sua história contada aqui no blog. Seu “Denir” como é carinhosamente chamado por todos no Clubinho do Manche há 30 anos.
Os médicos no seu nascimento se assustaram ao descobrir que ele não tinha uma gota de sangue nas suas veias. Somente anos depois a família descobriu porque corria querosene por todo seu corpo.
Em 1966, começou a fotografar e juntar coisas da aviação. Em 1974 editou sua primeira revistinha dedicada à pesquisa e historia da aviação, chamada MANCHE. 

Até meados da década de 80 havia sido 18 vezes detido para dar esclarecimentos à polícia das razões pelas quais estava fotografando aviões nos aeroportos e em praças no Brasil e da Argentina. Acreditavam inicialmente que era terrorista ou comunista. E assim passava horas dando explicações sobre sua paixão.  Certa vez, foi acordado de madrugada pelo telefone, era a Polícia de Porto Alegre, que havia detido um amigo fotógrafo alemão que tinha a mesma paixão. E graças às explicações do seu Denir, seu amigo foi liberado. Naquela vez até uma carta de agradecimentos recebeu da FAB.
Em 1983, em companhia de outro aficionado, criou CLUBE DO MANCHE, onde tem a alegria de dizer que “nunca cobrou taxa de inscrição, tampouco anuidade, ou mensalidade”. O CLUBE DO MANCHE em 2013 completou 30 anos de encontros anuais. Nestes anos, são incontáveis as visitas de colecionadores de várias partes do Brasil e do exterior, como Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Alemanha, Holanda, França, e dos Estados Unidos,

 “Em nossas reuniões, apareciam muitos veteranos, e acabava virando uma festa. Vários comandantes, pilotos e comissários de bordo começaram a frequentar nosso clubinho, desde muito cedo, alguns com idade de 10 anos ou menos. Vi muita gente crescer nestes trinta anos no Clubinho”.
Seu Denir sempre foi um sonhador, um Idealista, e podemos até chamá-lo carinhosamente porque não? de  Santos Dumont !  “O CLUBE DO MANCHE tinha a ideia de unir as pessoas em torno da aviação, trazer esperanças e sonhos aos adultos e  as crianças ao futuro vindouro. “ Muitas vezes o Seu Denir investiu de seus próprios recursos para ver a alegria despertar no interesse da gurizada pela aviação. Mandava imprimir centenas de cartões postais de aviões para distribuir na Convenção Anual.
“Meu interesse pela aviação, foi a partir do ano 1943, morando no interior, meu pai fazia o curso de piloto de recreio, e todo domingo, me levava até o campo de aviação, e enquanto eles tomava aulas de dirigibilidade, eu ficava brincando no gramado, ao lado da pista. “ E foi num desses passeios que o  “Presidente do Aero Clube, que era cliente do meu pai  passou a ocupar a função de instrutor em seu próprio avião (um Stinson Reliant, de três lugares) e como ele  sabia que  eu , filho do aluno ficava brincando no chão,  disse para papai  trazer o filho para voar conosco. Nesse dia foi o  meu primeiro voo, minha irmã de cinco anos estava comigo, e lá fomos, os dois de carona, no banquinho trazeiro , assim tive a sorte do primeiro e foi uma emoção inesquecível pra mim, e pra minha irmã, ver tudo do alto.

Seu Denir profissionalmente voou de 1969 até  2009, perfazendo mais de 450 viagens aéreas, pra todos os cantos do Brasil, e nos últimos anos, outras quase 50 só para  a Europa. Principalmente para participar de Feiras de Entusiastas de avião, como em Frankfurt, Munich, Londres, Paris, Bruxelas, e outras menores.
Uma de suas maiores mensagens “ Fico contente com aparecimento de jovens entusiastas, eu quando jovem, não encontrava com quem trocar ideias,   felizmente meu pai conversava comigo, quando o assunto era aviação.”
Outra descoberta do Seu Denir é o perfil dos colecionadores Europeus, Americanos e Latinos, onde: “Visitando muitas feiras no exterior, notei que lá, ninguém é juntador de
coisas, como nós latinos. Se a pessoa coleciona postais, não adianta
oferecer outra coisa, ela nem olha na mesa do expositor, que não seja
postais. 


 Um conselho:  “não seja egoísta, muitos que conheci ficaram isolados da maioria dos outros colecionadores. Faça amigos e seja amigo também!”
Seu time de coração: São Paulo
Uma frase: “Caixão não tem gaveta e sepultara não tem prateleira.”
Seu sonho:  “Só tenho a agradecer a vida! Tudo que sonhei eu realizei. Tenho uma Família Maravilhosa! Minha Esposa, Filhos e Netos. O que mais poderei sonhar? Ver a aviação crescer! Ver os jovens crescer com ela!
Obrigado a Fotos: www.asasmetalicas.com.br



Carlos Peres grande amigo o senhor Denir ,conheci o numa convenção em Frankfurt a alguns anos e nos encontrávamos todos os anos,mas a muito tempo que não o tenho visto por lá nem ele nem os amigos Brasileiros que o acompanhavam, se poderem falar com ele mando daqui os meus comprimentos e muita saúde e felicidade ....



































































































































































http://www.agenciamarcospontes.com.br/noticia/104/Uma-Verdadeira-Paix%C3%A3o-Pela-Avia%C3%A7%C3%A3o

 


 ESTA HISTÓRIA FOI GENTILMENTE CEDIDA PELA AGÊNCIA MARCOS PONTES

É normal aqui na Agência Marcos Pontes, recebermos muitos fãs de nosso querido astronauta e fãs da aviação em geral. Um caso em específico nos sensibilizou. Segue abaixo nossa entrevista com esta criança tão especial pra nós, como todos fãs e clientes já atendidos, e a qual nos trás grande orgulho e motivação para continuarmos nosso trabalho:


Uma Verdadeira Paixão Pela Aviação



Quem é o Lucas?
Resposta: Sou um menino gaúcho que reside em São Paulo. Tenho doze anos, estou no oitavo ano e sou um entusiasta da Aviação. Meu sonho é ser piloto. Coleciono tudo sobre a aviação. Qualquer coisa mesmo. Gosto de brincar, jogar game e ir no cinema. Sou uma criança normal. Mas que ama a aviação.


Como começou sua paixão pela Aviação?
Resposta: desde pequeno sou apaixonado por aviões e helicópteros. Meu primeiro voo foi na barriga de minha mãe. Com seis meses fui ao Rio de Janeiro e com nove a Bahia. Depois disso nunca mais parei de voar, sou um passarinho. Hoje eu resido em São Paulo e vou duas ou três vezes por ano a Porto Alegre ver meus avós. Sempre visito a cabine e dou um abraço nos pilotos. Quando eu fiz quatro anos as aeromoças cantaram Feliz Aniversário durante a viagem. Certo dia meu pai contou a história do naufrago que foi salvo porque escreveu uma carta e colocou numa garafa e jogou ao mar. Eu tive a idéia e fiz o mesmo, mandei mais de 11.000 emails para empresas e pessoas da aviação do mundo inteiro. E deu certo. Minha história foi publicada até em revistas da aviação.



Quais suas maiores conquistas na Aviação?
Resposta: são muitas, muitas mesmas. Já visitei diversas empresas da aviação Nacional e Internacional. Dei um abraço no astronauta brasileiro e tenho relíquias do mundo inteiro.


Na sua coleção qual o item que você mais gosta?
Resposta: de tudo. Não tem um item que eu diga que eu goste mais do que os outros. Cada um tem a sua história. Alguns vieram de longe, de outros países e outros continentes. Tem maquetes pequeninas que tem o mesmo valor que uma grandona. Tudo foi enviado ou presenteado com muito carinho e guardo tudo. Tenho tanta coisa que hoje o problema é onde guardar.


O que tem na sua coleção?
Resposta: tem de tudo um pouco sobre aviões e helicópeteros. Tem chinelos, lápis, dezenas de canetas, régua, mouse, chaveiro, batom, pad mouse, crachá, quase cinquenta maquetes, mais de trinta bonés, mais de vinte camisetas, oito livros, dezenas de revistas, dezenas de botons, pin, porta cartão, baralho, bolsa, carteiras, mochila, canecos, garrafas, protetor dos olhos, enfeites e muito mais.



Qual o presente mais exótico?
Resposta: são alguns. Por exemplo um sorvete fabricado na Nasa que ganhei do Marcos Pontes. Ele é solido e em contato com a saliva desmancha e fica gelado, não tive coragem de abrir ele. Tem uma carta e a primeira maquete da coleção, foi enviada pelo Comandante Rolin, ainda quando eu era bebe. Tem um email que recebi do Presidente da Tam que é uma lição de vida. São coisas simples, mas que tem grande valor sentimental. Tem um livro que foi enviado dos Estados Unidos que conta a história da vida do Santos Dumont, curiosamente de onde questionam que o primeiro voo tenha sido do Santos Dumont. As vezes eu penso se Santos Dumont e outras pessoas não tivessem sonhado, hoje talvez nem tivéssemos os aviões.


O que falta na sua coleção?
Resposta: falta muita coisa. Principalmente um avião que meu pai não deixou eu arrematar no leilão da Vasp ou da Varig. Já pensou se eu pudesse morar em Congonhas, dentro de um avião de verdade? Falta eu visitar algumas empresas como Esquadrilha da Fumaça e a Embraer. Falta a obra “MISSÃO COMPRIDA – A HISTÓRIA COMPLETA DA PRIMEIRA MISSAO ESPACIAL BRASILEIRA”. Falta até uma cristaleira para eu guardar tudo. Mas devagar vou chegando lá.




Nestas visitas o que você mais aprendeu?
Resposta: várias pessoas me disseram para eu nunca desistir dos meus sonhos! Até parece demagogia. Mas, eu com doze anos quem diria que já teria visitado tantas empresas da aviação. Fui recebido por presidentes, diretores e gerentes destas empresas. Aprendi também que para ser alguém terei que estudar muito, mas muito mesmo. E na aviação estudar mais ainda idiomas, principalmente inglês. Aprendi que por tras do check-in tem muitas outras coisas. Aviação não é somente despachar a mala e embarcar. Tem uma enorme e complexa rotina.


Qual sua maior façanha?
Resposta: essa é fácil. Foi ter pilotado vários simuladores em empresas que já visitei. Em especial no Museu da Tam. Fui convidado pelo Sr. João Amaro. Lá, tem dois simuladores de caças e é possível fazer uma batalha entre os dois. Pousei o meu caça quatro vezes com perfeição e inclusive num porta aviões.Outra façanha foi numa Academia da Aviação ter aberto a porta de um avião e ter descido pela esteira de emergênica, num curso de brigadista.


Você já perdeu algum dos presentes?
Resposta: ganhei esse ano um voo de ultra leve. Meus pais não deixaram eu voar. Vou ter que esperar até os 18 anos e também vou ter que esperar até os 16 para visitar a Labasse.


Qual programa para você é imperdível?
Resposta: esta é fácil também. É ir todos os anos no Campo de Marte no Dia da Asa. No ano passado fomos em baixo de chuva, sai de lá enxarcado. Mas valeu a pena. Todos os anos encontro lá a Marta Bognar, a mais famosa wingwalker do Brasil.


Qual o último presente que recebeu?
Resposta: É comum chegar alguma coisa todos os meses. Tem época que chega toda semana. É emocionante abrir os pacotes que recebo, nunca sei o que tem dentro. Minha última conquista foi a publicação de minha mensagem na Revista Aeromagazine que deve chegar nas bancas este mês.


Quem quiser conhecer um pouco mais de você como pode fazer?
Resposta: eu tenho um blog amador. Lá tem tudo isso e muito mais. Quem acessar pode mandar um email. Meu blog é http://ser-paizao.blogspot.com.br. O blog já teve mais de 200.000 acessos em mais de cem países. É pouco, mas eu fico espantado com a quantidade de acessos e respostas que recebo de incentivo.

 
 Quais seus sonhos?
Resposta: são muitos. Gostaria de visitar a Esquadrilha da Fumaça e a Embraer. Claro, gostaria de ir na Disney, qual criança não gostaria? Quando eu for piloto, ai eu vou poder ir na Disney. E por último, meu sonho é ser Piloto.


Qual mensagem você gostaria de deixar ?
Resposta: Nunca deixe de sonhar e Nunca desista dos seus sonhos.

Notícia publicada em 18/10/2012

 

 

  

TODO PILOTO E COMISSÁRIO DEVERIA LER – ISSO QUE É PAIXÃO
Eu deveria ter uns 5 anos de idade quando pegava os talos do jambo rosa e construía alguns aviões e colocava no quintal. Então minha mãe varria e levava os talos também e claro que eu chorava muito. Mas no outro dia eu fazia tudo novamente.

Um dia meu pai trouxe um avião de guerra, mas eu brincava como avião de passageiro. Naquela época passava sobre nossa casa um avião Caravelle da Cruzeiro. Eu já sabia da hora que ele passava, aproximadamente às 15:00. E eu só ficava esperando na janela. Quando de repente ouvia o barulho eu saia correndo, às vezes só pegava a calda do jato, mas ficava alegre por ter visto. Quando passava qualquer outro avião eu também corria, não importa o que estava fazendo, brincando, vendo filme ou almoçand. Lá saia eu correndo.

Sempre morei aqui em Recife. Meu pai foi para segunda guerra mundial. Trabalhou nos Correios. Tenho cinco irmãos, três homens e duas mulheres. Só eu gosto de aviões. O aeroporto na época era Aeroporto Internacional dos Guararapes. Acredito que desde os cinco anos que eu gostava de aviões.

Tinha uma prima que morava perto do aeroporto, minha irmã me levou lá na casa dela. Eu ficava besta admirnado quando subia um avião. Lá tinha um lugar que dava para ver o aeroporto. Então, eu ficava olhando os aviões e esperando o carro levar ele para sair quando ele decolava ai eu dava uma carreira para casa dela e esperar o avião passar fui várias vezes dormir lá somente para ver os aviões.

Quando eu tinha uns 10 anos, num domingo a tarde eu estava no muro de minha casa. Tinhamos um banquinho de cimento e ficavamos vendo a rua. Meu irmao maior estava perto quando de repente apareceu um teco teco bem baixo e soltou duas bolas de plástico. Uma azul e eu acho que a outra era amarela em cima da gente, meu irmão pegou a azul e a outra caiu longe era propaganda de açucar SUBLIME.  São pequenos detalhes que vou me lembrando ao contar minha história. Nessa época nao haviam prédios por perto como agora tem. Até nessa idade eu também podia estar tomando café, almoçando ou jantando quando subia um avião eu saia correndo tinha dificuldades até de dormir porque ficava querendo ver.




Meu primeiro voo foi num Hercules C130, eu tinha uns 8 ou 9 anos eu chamava de avião do BATOM porque ele tinha o bico pintado de vermelho ou chamava de aviao de quatro motores. Meu primeiro aviao comercial foi um 727-100 Trans brasil pra São Paulo depois foi 767-00 Varig 737-200Varig 737-400 Ttrans brasil 737-700 800 777-200 Alitalia A321 Alitalia 777-200 Ellal A330-200 Tap e outros.

Meu sonho sempre foi entrar num 747 JUMBO. Sempre fui toda semana no aeroporto olhar eles. Mas depois da reforma ficou muito ruim de ver os aviões.

Descobri os aviões de metal e outras pessoas malucas como eu, através da internet. Então, passei a colecionar os modelos de escala 1/200. Passei a ser amigo e comprar do Pedro Miniaturas, do Hilton Mazur e do Alan Soares que customiza e de outros.
O primeiro 747-200 que eu ví foi da TAP. Depois foi AIR FRANCE, sempre ia toda segunda feira no aeroporto para ver o 747 da TAP as 21:40. Depois trocaram de avião, então parei de ir. Depois surgiu o AIR RANCE, mas ficava em casa porque ele decolava às 23:15, mas ficava em casa esperando ele passar bem longe, via ele bem pequeno e ficava feliz só por ter visto só uns quinze segundos.

Minha primeira tentativa de voar não deu certo. Foi na Semana da Asa. Fui com minha prima que conhecia alguém lá da Base Aérea. Deveria ter uns nove anos. Quando chegou a minha vez cancelaram o voo. Já estavamos na pista, falaram que o pneu estava gasto
Não desisti, em outra oportunidade fui novamente e desta vez conseguir voar num HERCULES C 130. Tinha um janelão atrás e tinha soldados na frente.  Depoi que decolou, percebi que dentro fazia muito calor. Nós não usávamos cinto e ficaram algumas pessoas na trente só depois que decolou que eu ví, mas me lembro de muitas coisas, a sombra no mar no chão as pessoas bem pequenas, fazia muito calor e tinha muita turbulência, apesar da altura baixa e devagar. Mas não tive medo nenhum ao descer tinha um hangar entrei numa sala e procurei água, estava morrendo de sede, achei uma geladeirae não vi copo nenhum. E não quis nem saber, peguei a garrafa e bebí pelo gargalo quase toda a garafa. Algumas pessoas ficaram rindo.

O primeiro jato comercial foi num 727-100 da Trans brasil. Fui no corredor, mas ele fez escala em Brasilia e tinha duas freiras na janela aí eu pedí para sentar na janela até Sao Paulo despois que desceu procurei elas e agraceci. Na volta foi num 707 Trans Brasil, a noite fiquei na janela tive sorte porque o avião já estava cheio e não tinha lugar marcado.

Sempre que viajo peço para ficar na janela. Em uma viagem de Israel pra Paris eu perdi voo e fui realodado mais tarde em outro avião. Me colocaram no meio do avião um 777-200 da Ellal. Fiquei doidinho porque não estava na janela. Ele estava cheio só restava três lugares não tive duvida corrí e me sentei na janela eu acho que uns três minutos depois sentaram duas moças do meu lado eu tinha pego o lugar de uma delas. Mas elas não reclamaram. Uma era francesa e ela me falou que o marido dela era brasileiro, o voo internacional foi ótimo.

Já entrei na cabine de um 737-400 da Trans Brasil a noite. Cheguei a passar eu acho que mais de quinze minutos. Até pedí para eu ir me sentar que ia pousar e também vinha outro avião e ele piscou as luzes para o outro avião, mas eles não deram sinal.

Também entrei num 767-300 da Varig, tirei foto de tudo lá dentro, até de dentro do banheiro. Eu nao bebo, porém nesse voo da Varig que peguei aqui em Recije e que estava retornando de Porto, Lisboa. Eu me atrevi a beber um vinho do porto. Após fui ao banheiro e já não sabia mais aonde estava o meu assento. Passei do meu lugar e morria de vergonha procurando o meu assento.  Mas encontrei ele.

Nunca tive medo de voar.  Adoro fazer escalas.  Viajei pela TRANS BRASIL, pela VARIG. Engraçado que fui a São Paulo com a tripulãção da GOL no avião da BRA. Também percebi que o assento da TRANS BRASIL tinha o cinto da VARIG. Realizei  voos internacionais da ALITALIA, TAP e ELLAL.

Certa vez comprei um relogio pela revista num voo de ida da TAP. Ao voltar quando abrí a mala no Brasil na minha casa, só estava a caixa vazia. Roubaram meu relogio não sei se foi no hotel ou no aeroporto. Sempre achei as aeromoças extremamente educadas e a alimentação muito boa. Adoro turbulência e escalas. Gosto também de trazer as revistas de bordo e algumas mantas de cobertor.  Mas nunca peguei talheres, somente os copos de plásticos eu coleciono.

Hoje tenho 51 avioes de metal 1/200, 12 de ferro daqueles de shopping do pequeno, 16 grandes de outros materiais e alguns por encomenda com Irmãos do Ar e com o Francisco. Também compro do Hiltom Manzur, Pedro Miniaturas e Alan Soares que customiza. Devo ter uns 8º de Guerra do amigo Hilton Manzur, um DC3 e depois um 737-400 1/200 pelo aniversario que me deu de aniversário.
Já fui no Domingo Aéreo, no Campo de Marte em São Paulo. As pessosas ficam admiradas, mas sempre que chega um novo avião, minha mãe reclama ela fala “Outro Alberico  Bezerra de Melo,” Mas pra quem gosta nunca tem fim o problema agora é falta de espaço.
Meu aviao preferido é o ANTONOV 225 1/200 ele é o maior que o 747 e o A360-600, mas gosto de todos os aviões.

No dia que caiu o A 330 da AIR FRANCE eu estava aqui no aeroporto indo para Guarulhos e no dia seguinte eu para o Egito. E depois para Israel. Ficamos sabendo do acidente no aeroporto. Mas nao fiquei com um pingo de medo foi na epoca que OBAMA estava visitando o EGITO e lá ficavamos acompanhando as noticias do acidente.
Colecionava a revista FLAP perdí mas de trezentas e mas outros tipos por causa do cupim. Depois comprei mais algumas. E coleciono cartões postais de aviões parei com 215 incuindo os aeroportos
O aeroporto daqui antes da reforma viamos quando o avião vinha bem longe o farol acesso até parar e ficava bem perto podiamos ouvir o barulho bem alto pra quem gosta era uma harmonia e as vezes o cheiro do combustivel queimando e na decolagem viamos até ele sumir, mas hoje está muito ruim. Logo depois que o avião decola não se enxerga mais nada. Acaba os sonhos. Deveria ter um local melhor pra quem gosta de apreciar os aviões. O aeroporto foi modernizado, mas prefiria o aeroporto anterior

 
















ENTREVISTA COM ROBERTO

Olá me chamo Roberto tenho 20 anos, nasci em Santa Cruz do Capibaribe em pequeno interior de Pernambuco, aos 15 anos vim morar em Recife-PE onde moro ate hoje.

Minha paixão pela aviação começou sem nunca ter visto um avião de perto.

Lembro que quando era garoto, sempre no silêncio da madrugada, dava para ouvir os aviões passando pelo céu de Santa Cruz. Muitas vezes eu corria para o quintal e ficava olhando eles passarem bem pequenos lá no alto. E sempre me perguntava qual seria seu tamanho de verdade? De onde vinham? Para onde iam? Coisas desse tipo. 
Quando criança gostava de brincar com aviões de brinquedo. E claro ficava imaginando um dia eu ser piloto de caça. 
Certa vez, minha mãe levou eu e meu irmão para conhecer Recife, no bairro de Prazeres. Lembro quando ouvi pela primeira vez o som dos motores de uma máquina incrível da Tam. Fiquei impressionado com aquela coisa tão grande subindo, subindo, subindo, ate sumir no céu distante.
Então fiquei no pé da minha mãe para ela me levar para o conhecer o aeroporto. E numa bela noite ela me levou.  Foi umas das melhores sensações que senti em minha vida. Pois não fazia ideia do tamanho de um avião e chegando lá, dei de cara com um avião enorme da Gol.  Fiquei admirando os pousos e decolagens por horas.
O tempo passou e aos 15 anos vim morar em Recife. Comecei a me aprofundar em assuntos de aviação. Aprendi sobre prefixos, modelos de aeronaves, quem eram os fabricantes, entres outras. Toda semana estava no aeroporto e a paixão pela aviação se tornou um vicio para mim, algo que não consigo viver sem ela.
Mesmo com muita gente desacreditando do meu sonho, eu seguia dizendo que ia ser piloto ou mecânico de aeronaves.
Foi então que conheci os vídeos motivacionais do canal norte verdadeiro. Sou muito grato a o Ronaldo Borges por ter me feito chorar toda vez que via seus vídeos.
Um certo dia eu estava olhando maquetes de aviões no YOUTUBE e vi uma que um senhor fez em casa mesmo, e me chamou muita atenção. Pensei se ele foi capaz de fazer porque eu não seria?
Fui numa loja de construção e comprei tintas, cano pvc e outras coisas. Tudo que eu precisava para construir minha primeira maquete de avião.  Lembro que gastei uns 50 reais, e todo empolgado com minha primeira maquete que seria um 737 da GOL passei praticamente duas noites sem dormir e em três dias estava pronta. Eu olhava a maquete e me perguntava por que tinha ficado tão feia, torta e esquisita. 
Então, desanimei da ideia. Um ano depois animei novamente e fiz uma de um 737 da KLM e até que não ficou ruim. Depois fiz um ATR 72 da AZUL e cada vez vou aperfeiçoando melhor os detalhes. Ate que cheguei no CESSNA 152 que ficou perfeita. Depois chegou o FOKKER 100 da TAM.
A cada uma delas eu aprendo um aperfeiçoamento diferente.  Hoje a maior dificuldade para fazer as maquetes são meu tempo e dinheiro, Por isso demora para uma ficar pronta.
No dia 18/07/2015 viajei de avião pela primeira vez no com a Tam, no A320 PT-MZL. Fui na janela bem atrás da asa e meu foi um sonho realizado, o voo foi de Recife a Brasília. Cheguei em Brasília com dor no pescoço porque não tirei a vista da janela. Ate o lanche eu levei para casa de lembrança. Então tive a certeza que era isso mesmo que queria pra minha vida. A decolagem foi magica, algo perfeito o pouso mais ainda espetacular.
 
Ainda não trabalho na aviação. Não terminei meus estudos, Trabalho para juntar o dinheiro para o curso de mecânico ou piloto. Estudei até a oitava série. Minha maior dificuldade de conseguir algo hoje na aviação é em razão dos estudos e por ainda não ter o inglês, ano que vem pretendo voltar a estudar pois já perdi muito tempo em minha vida.
Hoje sou pizzaiolo, mais estou montando um próprio negócio para poder manter minha família e pagar meu curso mais a frente. Meus aviões eram uns caças que vendiam no super mercado. Hoje eu só faço para coleção e quem sabe se aparecer interessados eu possa vender. Assim, aceito pedidos para fazer por encomenda;
Hoje sou casado tenho um filhão com quase dois anos e divido meu tempo em família, trabalho, minhas maquetes e meu canal no Youtube GIGANTES DOS ARES.
A ideia do Meu canal GIGANTES DOS ARES veio quando minha esposa criou uma conta para mim porque queria curti e comentar os vídeos dos outros, Assim veio a ideia de fazer um canal. Não é um canal grande que tem os melhores vídeos mas faço com muito gosto é um baita passa tempo pra mim.
O endereço eletrônico do canal GIGANTES DOS ARES é, convido todos a acessaram e espero que gostem.